24 abril 2017

Dica de Livro: A Bela e a Fera

Dica de Livro: A Bela e a Fera

Já começamos essa edição bolso de luxo da Editora Zahar descobrindo algumas curiosidades e diferenças sobre os dois contos apresentados na obra. O original e aquele mais parecido com os filmes da Disney. Também ficamos sabendo um pouco (na introdução, antes de começar os contos) da suposta história real, de um homem que tinha uma doença que fazia ele ter muitos pelos em todo corpo, e que acreditam que foi a inspiração para o surgimento da história.

Sinopse do livro:

A versão original do clássico que inspirou o novo filme da Disney, estrelado por Emma Watson Adaptado, filmado e encenado inúmeras vezes, o enredo de A Bela e a Fera vai muito além da jovem obrigada a casar com uma horrenda Fera que no final se revela um lindo príncipe preso sob um feitiço. Nessa edição bolso de luxo da coleção Clássicos Zahar você encontra reunidas duas variantes da história. A versão clássica, escrita por Madame de Beaumont em 1756, vem embalando gerações e inspirou quase todos os filmes, peças, composições e adaptações que hoje conhecemos. A versão original, que Madame de Villeneuve publicara em 1740, é de uma riqueza espantosa, que entre outras coisas traz as histórias pregressas da Fera e da Bela e dá voz ao monstro para que ele mesmo narre seu destino. Toda em cores e ilustrada, essa edição conta com ótima tradução do premiado André Telles, uma apresentação reveladora e instigante assinada por Rodrigo Lacerda e cronologia das autoras. A versão impressa apresenta ainda capa dura e acabamento de luxo.

Dica de Livro: A Bela e a Fera

Eu fiquei muito alegre de conhecer a escrita original do conto, que é de 1740. Conseguimos notar grandes diferenças entre esse e a versão que conhecemos. A primeira sensação é que a original tem mais conversas e partes que dão "corpo" a história, mas que não necessariamente mudam ela, então as outras versões decidiram tirar essas partes. Mas não é bem assim. Se você for ler com atenção, a história é bem mais complexa e nos faz questionar sobre muito mais coisas do que o simples amor pela beleza, como no conto que conhecemos.

Também notamos que antigamente o conto continha palavras "rebuscadas" e que isso foi mudado nas outras versões, acredito eu, pela mudança de foco, que agora os contos são mais para crianças e antes não eram, e também pela atualidade, pois agora não usamos mais com tanta frequência, no nosso vocabulário essas palavras mais requintadas.

Dica de Livro: A Bela e a Fera

Uma coisa bacana que tem quase no final do conto original é a história por trás do que aconteceu para a fera ter sido "enfeitiçada" (amaldiçoada) pela fada. É bem chocante e até nos faz questionar sobre quem é o vilão afinal?! As fadas (sim, aqui no conto original são mais do que uma), tiveram um papel muito importante nessa versão do conto. Podemos dizer que quase todas a história foi por causa delas, mas bem mais profundamente que só por uma maldição. Tem um jogo de manipulação e poder louquinho ai, que até da para duvidar do amor do casal, aquele que fomos convencidos que existia na versão da Disney.

Eu recomendo para todos a leitura deste livro, porque ele é super completo contendo os dois contos e o original é riquíssimo em detalhes que não conhecemos e que com certeza tiveram grande influência na criação dos nossos antepassados e são carregados de grandes ensinamentos, ou no mínimo, fazem nós questionarmos varias coisas e acontecimentos da vida.

Dica de Livro: A Bela e a Fera

Sobre a edição:

A edição bolso de luxo é perfeita para a "coleção". Com capa dura e em um tamanho menorzinho, traz um acabamento impecável. As folhas são amareladas, a diagramação é boa e também possuí algumas ilustrações dos antigos contos, o que deu um toque super especial para a edição.

Sobre as autoras:

Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve (1695 — 1755) é uma escritora francesa e autora da mais antiga versão da fábula A Bela e a Fera. Suas principais influências são Madame d'Aulnoy, Charles Perrault e outros autores preciosistas. A primeira versão de A Bela e a Fera foi publicada no La jeune ameriquaine, et les contes marins contendo mais de cem páginas envolvendo uma fera genuinamente selvagem. Sua versão foi re-escrita e publicada por Jeanne-Marie Leprince de Beaumont, tornando-se esta a versão mais comum.
Jeanne-Marie Leprince de Beaumont (1711 - 1780) foi uma romancista francesa, conhecida pelo conto A Bela e a Fera. Entre 1750 e 1755 publicou uma série de antologias de histórias, contos de fadas, ensaios e anedotas: Le magasin des enfants (1757), Le magasin des adolescents (1760), Le magasin des pauvres (1768) e Le mentor moderne (1770). Cada uma dessas coletâneas destinava-se a incutir virtudes sociais em crianças e jovens. Baseou sua versão de A Bela e a Fera numa outra muito mais longa publicada por Madame de Villeneuve em 1740. Sua versão resumida, que se tornou parte do cânone do conto de fadas ocidental, exalta a diligência, a abnegação, a bondade, a modéstia e a compaixão como as virtudes fundamentais para moças.

................................................................
Editora: Zahar
Autor: Madame de Villeneuve e Madame de Beaumont
Assunto: Literatura Clássica
Páginas: 400
Para comprar: clique aqui


Avaliação da Leitura:  

................................................................ 
20 abril 2017

Dica de Livro: The Fairy Tale Colouring Book

Olá queridos leitores, hoje o post é bem rapidinho. Vim trazer o vídeo que eu tinha prometido, mostrando as páginas desse livro maravilhoso: The Fairy Tale Colouring Book. Um ótimo livro de colorir para quem é apaixonado por contos de fadas assim como eu. Eu me encantei com essa edição, até meu namorado que não é muito chegado nisso elogiou, então quis com certeza compartilhar com vocês, para vocês também se apaixonarem.

Ahh.. eu não colori nada dele ainda, os coloridos que aparecem, já vem no livro 💜
Não deixem de assistir o vídeo e ver o quanto ele é lindo. E se você ficou com muita vontade de comprar essa lindeza, é só clicar aqui e comprar (aproveite que está com desconto 😍)

19 abril 2017

Dica de Série: Os 13 Porquês

Dica de Série: Os 13 Porquês

Atenção, essa série contém violência, drogas, abuso sexual, entre outras coisas. Não é recomendada para crianças.

Sinopse da série:

Baseada no best-seller de Jay Asher, a série original Netflix 13 Reasons Why acompanha Clay Jensen que, ao voltar da escola, encontra uma caixa misteriosa com seu nome na porta de casa. Dentro dela, ele encontra fitas-cassetes gravadas por Hanna Baker - sua colega de classe e paixão secreta - que cometera suicídio duas semanas antes. Nas fitas, Hanna explica as treze razões que a levaram à decisão de acabar com a própria vida. Será que Clay foi uma delas?

Uma história bem profunda que fala muito mais do que simplesmente sobre suicídio. Ela fala sobre pressão familiar e convivência com vários tipos de influências (como a família influencia no posicionamento e atitude das pessoas). Sobre drogas, bullying, estupro, agressões físicas, privacidade, depressão e o papel da escola, ou pelo menos a indagação da questão: Será que ela é culpada?

Quando comecei a assistir eu não conhecia muito da história, até porque nunca li o livro (por isso essa resenha é só com base na série que assisti). Posso dizer sim, que existe cenas bem chocantes. Até eu quando comecei a assistir não pensei que seriam TÃO, mas algumas são. É uma história de impacto e que eu quase não conseguia dormir até ter terminado de assistir.

Uma resposta "bacana" e ao mesmo tempo preocupante foi que em uma escola americana, subiu 445% o número de e-mails com pedidos de ajuda recebidos pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) após a série ser lançada. Isso quer dizer que a série foi positiva ao fato de falar sobre o problema, mas ao mesmo tempo nos alertou sobre o quão grande é esse problema.

Ouça a trilha sonora de Os 13 Porquês Aqui


A série gerou bastante discussão, alguns falando que é exagerada em alguns sentidos, outros apoiando e elogiando. Acredito que cada pessoa reage de uma maneira diferente aos fatos exibidos, mas mesmo assim, acredito que todos devem assistir, pelo menos para refletir sobre consequências de atos, e se for mãe/pai, a tentar ajudar seu filho a passar por essa fase (que acredito que todos passam por alguma coisa, talvez não parecida, mas sabemos que a escola é uma época complicada).

17 abril 2017

Coleção de marcadores de página: Clássicos Zahar

Os clássicos Zahar são livros lindos de contos que amo. E ter os marcadores é a coisa mais maravilhosa. Vocês também não acham lindo? Hoje trouxe a foto de mais alguns que consegui 😍

Coleção de marcadores de página

Quem quiser ver a coleção de todos marcadores que tenho, pode acessar clicando aqui e olhando todos posts disponíveis 😊