Era uma vez

Recursos estruturais dos Contos de Fadas (parte 3)

segunda-feira, março 21, 2016



Também como parte importante para uma história ser reconhecida como conto de fadas temos os personagens. Nos contos de fadas os personagens mais comuns que encontramos são os chamados personagens-tipo. Estes são os personagens estereotipados, que não mudam em suas ações, qualidades ou defeitos. Isso significa que eles são totalmente bons ou totalmente maus. 

Os personagens de um modo geral mostram a cultura da época em que surgiram ou foram reescritos. Isso acontece pelo fato de cada escritor carregar consigo sua “bagagem cultural”, transmitindo-a para as histórias que escrevia. Por causa disso cada escritor, de cada cultura ou século, apresentava traços diferentes nos seus personagens, apesar do cerne história permanecer o mesmo a cada reedição. O mesmo personagem pode ser mais ou menos inteligente, por exemplo, dependendo do escritor que conduzia a narrativa. 

 Khéde define os personagens por dois grupos: Nos contos de fadas os personagens são tipos (marcados por um único traço), ou caricatura (quando este traço é muito reforçado), daí surgindo os estereótipos: a bruxa malvada, a fada bondosa, o sapo que vira príncipe, e assim por diante. 

Podemos dividir os personagens-tipo em dois estereótipos distintos: os que pertencem ao bem, e os do mal. Como personagens que representam o bem, podemos citar a princesa e o príncipe que geralmente são o herói e a mocinha da história, as fadas que representam a magia e os reis e rainhas que mostram a autoridade, e geralmente estão em segundo plano. 

Já os personagens-tipo que representam o mal, podemos citar as bruxas, os gigantes, a madrasta, os animais selvagens, entre outros. A figura da bruxa, por exemplo, existe há muito tempo, desde a Antiguidade. Ela é conhecida por encarnar o lado malévolo das histórias. Segundo Eco as bruxas eram velhas mulheres curandeiras que diziam conhecer ervas medicinais. Acreditava-se que as bruxas tinham ligação com o demônio.
Segundo Coelho, a fada e a bruxa são formas simbólicas da eterna dualidade da mulher ou da condição feminina. Nos personagens dos contos de fada é fácil percebermos que o ético e o estético se completam. Por este motivo entendemos que a princesa e a fada são sempre belas e boas, enquanto a bruxa e a madrasta são sempre feias e malvadas. 

O lobo é um animal que com frequência é usado pelo conto como um objeto que representa o mal. Ele aparece em muitas histórias, entre elas: Os Três Porquinhos, Chapeuzinho Vermelho, Pedro e o Lobo, etc. Segundo Chevalier e Gheerbrant o lobo é sinônimo de selvageria e a loba de libertinagem. 



 _________________
 Para ver os outros posts sobre a origem das histórias que tanto nos encantam, é só acessar a tag Era uma vez (aqui).

LEIA TAMBÉM

11 comentários

  1. Ai, amo seus posts sobre os recursos estruturais dos contos. Sempre gostei de contos de fada, sou apaixonada até hoje, tanto pelos originais, mas é sempre bom saber como é feito um!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=GXx7jPpQzrM&feature=youtu.be

    ResponderExcluir
  2. Obrigado querida :)
    De facto a verdade é mesmo essa: ainda existe muita vergonha e algum preconceito. Mas as coisas estão a mudar :)

    Gostei imenso do post. É fabuloso percebermos tudo quanto está por detrás dos contos de fadas e como os mesmos se baseiam. Obrigado por desmistifcares um pouco mais este mundo encantado :)

    NEW REVIEW POST | Top Cien: Hygiene Products
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
  3. Oi, Monique!
    Eu amo seus posts sobre os contos de fadas.
    Eu acho interessante como, nos últimos tempos, os autores estão desmitificando o bem e o mal, com as releituras. Como, por exemplo, em Once Upon Time, a Evil Queen não era realmente malvada.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Mês das Mulheres em Dobro
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
  4. É muito interessante como os contos se diferem das outras história, mais por seus personagens terem a personalidade destacada como totalmente bom ou totalmente ruim (no casa dos vilões), acho que por isso é tão interessante a releitura que estão fazendo hoje nos cinemas, mostrando personagens mais reais com defeitos e qualidades (tanto vilões quanto mocinhos) :D

    http://www.sweetexpected.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do post. É muito legal saber tudo o que está por trás dos contos famosos :)


    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do Post,

    Obrigada pela visita adoreiii
    http://blogdaadilene.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Poxa, queria ser interessada assim em leitura, mas acho que é um dom que eu não tenho. rs

    Beijos!

    http://momentosdemodaebeleza.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Monique,
    Que bacana a ideia da postagem.
    Gosto dos contos, acho que curto mais os vilões na maioria deles. haha

    tenha uma ótima quarta =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  9. Acho legal esse lance de trazer a cultura pra historia, ultimamente não tenho visto muitos livros que retratam isso, eu sei que por ser um conto de fadas é diferente, mas acho que seria bem legal se os livros fizessem a mesma coisa.
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu nunca tinha parado para pensar nessa de criação de personagens, gostei de saber um pouco mais :3

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, Monique

    Adoro essas postagens. Acho que foi por causa dos contos de fadas que as madrastas ganharam essa fama de malvadas, né? Realmente os personagens dos contos de fadas são bem estereotipados!

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Espero que tenha gostado da postagem. Também vou adorar ler sua opinião.
Não deixe de seguir o blog nas outras redes: Instagram | Youtube | Facebook | Twitter