21 janeiro 2016

Escritores de Contos de Fadas (Parte 3)

Na Dinamarca em 1905, Hans Christian Andersen, filho de sapateiro, surge com contos que relatam as marcas de sua própria vivência social; utilizando-se do maravilhoso com maior frequência. A maioria de seus contos carregava certa melancolia (característica do período romântico): as histórias que possuem um desfecho triste aparecem em maior número que as de final feliz. Ele virou um contista infantil conhecido no mundo todo pelos contos: Soldadinho de Chumbo, Sereiazinha, A pequena Vendedora de Fósforos e A Rainha de Neve.



Um exemplo de conto que transmite esta melancolia com que ele escrevia era A Pequena Vendedora de Fósforos. Na história que acontece na noite de Natal, não existe um “final feliz” como em outros contos, pelo contrário, a menina morre de frio em um beco da cidade. Na tradução para a língua portuguesa, segundo Martin (1994):

(...) Cedinho, na manhã fria, a menininha ainda estava sentada no canto entre as duas casas. Suas bochechas estavam vermelhas e ela tinha um sorriso nos lábios... Ela estava morta, tinha congelado até morrer na véspera de Ano Novo. A manhã do Ano Novo surgiu sobre o corpinho sentado ali com os fósforos, um pacote quase totalmente queimado. “Ela só queria se manter aquecida!” alguém disse. Mas ninguém sabia que coisa linda ela tinha visto, ou com que esplendor ela tinha entrado no Ano Novo com a sua avó idosa (MARTIN, 1994, p.69). 



Segundo Coelho (2008), os contos de Andersen mostram à sociedade as injustiças que estão presentes em seus alicerces, mas ao mesmo tempo oferecendo o caminho para neutralizá-las: a fé religiosa. Diferente dos outros, Andersen criou e escreveu desde peças de teatro até canções patrióticas. Ele foi o primeiro escritor a ser reconhecido por contos redigidos para o público infantil. 

Tempos depois o escritor Charles L. Dodgson, conhecido como Lewis Carrol surge com as Aventuras de Alice no País das Maravilhas (1865). Ele era matemático, e também escreveu alguns poemas. Segundo Cademartori (1994), ele criou histórias sem moralidade, abandonando o tom sentencioso comum às histórias do século XIX.




Em um passeio de barco que Lewis Carroll fez com as irmãs Liddell, contou uma história. Uma das irmãs, Alice Liddell, ficou encantada com a história e pediu que Carroll a escrevesse, para que ela nunca esquecesse. Assim surgiu a famosa história de Alice no País das Maravilhas (hoje um sucesso no cinema), onde uma menina aumentava e diminuía de tamanho para descobrir um mundo novo. Alice é um perfeito exemplo de conto que nasceu da tradição oral.

15 comentários:

Muito interessante a sua pesquisa sobre esses autores e a oportunidade que eu tenho de conhecê-los aqui no seu blog. Grande xero :)
Acho tão interessante os teus posts deste tipo...
Nossa! Adorei conhecer um pouco da história desse grande autor. Não sabia que ele era matemático.

http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/
Bha, A Pequena Vendedora de Fósforo era um conto que me emocionava muito quando eu era criança, que lembrança boa! Este cara é Top!

Beijão, Van - Retrô Books
http://balaiodelivros.blogspot.com.br/
Bha, A Pequena Vendedora de Fósforo era um conto que me emocionava muito quando eu era criança, que lembrança boa! Este cara é Top!

Beijão, Van - Retrô Books
http://balaiodelivros.blogspot.com.br/
Adorei essa ideia que vc teve fazendo pesquisas sobre esse sautores de contos de fadas. Eu sempre fui muito curiosa quanto a isso e é otimo poder saber :D Adorei o post inteiro, seu blog sempre traz algo novo que faz a gente nao ter pregruiça de ler!
http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/
Muito obrigado, querida Monique :)

Ohn, que maravilha que é ficar a saber sempre mais acerca de autores que lembram tanto a nossa infância :)

NEW BRANDING POST | Ana by Herself: be different
InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D
Oi, Monique!
Gente, que triste essa da menininha que morreu no frio. Me deu uma dor no coração.
Estou adorando essas postagens.
Beijos
Balaio de Babados
é sempre bom ficar a saber mais.

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt
Olá,
Adorei o post e confesso que não conhecia sobre o autor.
Faça mais rsrs.
Te indiquei em uma Tag lá no meu blog.Espero que goste!
Bjs
http://diarioelivros.blogspot.com.br/
Oi
esse primeiro acho que não conhecia só lembro de ter visto algo sobre Soldadinho de Chumbo, o resto não lembro, bem educativos o seu poste.

momentocrivelli.blogspot.com.br
Oi Monique!
Mais um autor que eu não conhecia. Das histórias, acho que a única que me é familiar é Soldadinho de Chumbo.
Beijos,
alemdacontracapa.blogspot.com
Oi, tudo bem?
Que interessante, das histórias citadas eu só conheço Alice, que é uma história que eu cresci vendo/lendo.
bj


@saymybook
saymybook.blogspot.com
Muito bacana, conhecia muitos dos contos de Martin como A pequena Vendedora de Fósforos, mais não sabia como teria surgido :D

http://www.sweetexpected.com.br/
Caramba, que post interessante! Não conhecia a história da Pequena Vendedora de Fósforos, é uma pena que ela termine assim :/
Um beijão,
Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

Postar um comentário

Espero que tenha gostado da postagem. Também vou adorar ler sua opinião.
Não deixe de seguir o blog nas outras redes: Instagram | Youtube | Facebook | Twitter